domingo, 23 de setembro de 2018

JUVENTUDE LIBERTÁRIA ARAXÁ

A agrupação de Juventude Libertária esta reativando suas atividades em Araxá, para propagar organização popular de luta e defesa contra o fascismo.
Atividades e ação direta para continuar semeando revolta para colher justiça social.

Os companheiros e companheiras ligados ao Sindivários Araxá convocam para organizar e lutar!
Agrupação tradicional de luta, sem partidos, sem pátrias e sem patrões.

Sindivários Araxá
Juventude Libertária

 


quinta-feira, 6 de setembro de 2018

NÃO VOTE!

Não vote em ninguém, organize-se e lute por seus direitos!
Já fazem muitos anos que chamamos para a organização e a luta em defesa de direitos e liberdade, não entregamos as escolhas que devemos fazer nas mãos de políticos, essas escolhas não passam  pelas urnas - as escolhas que devemos tomar estão na organização de assembleias populares e na luta de ação direta. Sem parasitas, sem pelegos, já basta de todos os direitos que as centrais sindicais venderam para as patronais e os grandes banqueiros, a luta precisa estar nas ruas.

Nossa organização chama para a luta de ação direta, somos povo e vivemos a vida do povo, não somos membros de partidos ou sindicatos oficiais, é simplesmente a necessidade e o bom senso de enfrentar as injustiças sem dar nenhum passo atrás.
Basta de parasitas e sanguessugas, basta de carreatas e mentiras eleitorais, a situação dramática vivida por nossa gente nos mostra o caminho da luta de ação direta que é tomar as decisões pelos direitos e liberdades que nos interessam, não delegar direitos e escolhas. TODOS OS PARTIDOS E POLÍTICOS SÃO PARTE DE UM SISTEMA CORRUPTO E QUE NÃO PODE RESOLVER OS PROBLEMAS DA CLASSE TRABALHADORA, SOMENTE A CLASSE TRABALHADORA UNIDA PODE RESOLVER SEUS PROBLEMAS.
Abstenção ativa é negar o Estado e seus crimes, é entender que nossa gente é responsável por sua própria liberdade, não votamos praticamos autogestão de lutas, sem ilusões e sem mentiras, somente a luta da classe trabalhadora por seus direitos.


SINDIVÁRIOS ARAXÁ 2009

BONDE 1906 - anarcossindicalismo.

domingo, 29 de julho de 2018

SINDIVÁRIOS ARAXÁ

ORGANIZE-SE E LUTE CONOSCO, NÃO ESTEJA INDEFESO E DESORGANIZADO, LUTE!

Por direitos, vamos aos piquetes, pela emancipação da classe trabalhadora, seguimos em pé!


Sindivários Araxá

MOBILIZAÇÕES RECENTES REFORÇAM NOSSA TESE.

As recentes mobilizações em Araxá reforçam a tese de que são necessárias assembleias e pautas definidas para a manutenção de lutas, as mobilizações populares em Araxá não possuem pauta definida além de vagas reivindicações contra a corrupção.
Entendemos que a corrupção é própria do Estado e do capitalismo, lutamos contra todas as causas da corrupção, lutamos contra o Estado e o capitalismo, definimos pautas em assembleias e partimos para as reivindicações.
O maior exemplo prático de reivindicações definidas em assembleias é a luta por melhorias no transporte público de Araxá, atacamos todos os acordos e partidos, a precariedade aos trabalhadores da Vera Cruz e o serviço prestado aos usuários, tudo definidos nas ruas.
São lutas sociais, que movidas desde este sindicato fizeram e fazem toda a diferença, o movimento vem pra rua carece de teoria e prática, infestado de defensores do regime militar, fizeram as reivindicações populares apodrecerem em ambiente tão imundo com reivindicações retrógradas e que não representam a maioria da população e seus desejos, tentaram manipular e influenciar greves, ousaram pedir a volta do regime ditatorial.
Somos inimigos do fascismo, denunciamos e atacamos estes grupos e a violência de Estado que estão defendendo, nossa luta é por bem-estar e liberdade para todos e todas.
Nossa tese e nossa prática se fortalecem com o exemplo recente de mobilizações fracassadas e sem metas definidas, enquanto que nós conseguimos parar a cidade mesmo sem um chamado de greve geral, os responsáveis pelas mais recentes mobilizações carecem de informação e rua, luta efetiva e contra quem nos explora: o Estado e o capitalismo.
Condenamos os defensores do regime militar, não vamos aceitar o avanço do fascismo infiltrado em mobilizações populares, a luta se faz nas ruas e as ruas são do povo.

Quando paramos avenidas com atos e piquetes, quando exigimos algo, tudo esta embasado por assembleias e reuniões entre os interessados, as lutas sociais não são uma arma política nas mãos de interesseiros, as lutas servem para conquistar reivindicações básicas que não interessam aos fascistas envolvidos em mobilizações do V.P.R. - por isso nos afastamos e declaramos os defensores do regime militar como inimigos da liberdade, como nossos inimigos, a luta social sim, por direitos imediatos conquistados nas ruas. Seria injusto comparar  mobilizações, as deste sindicato sempre foram maiores e mais eficientes do que as promovidas por movimentos de mobilização infestados de fascistas.
Exigindo o definido em assembleia, paramos a cidade, não usamos greves alheias como suporte para nossas demandas, apoiamos greves em apoio mutuo e solidariedade, como prática tradicional da classe trabalhadora. Chamamos para a solidariedade e para a organização sem líderes, sem partidos e sem patrões - o povo pelo povo.

Na prática nossa tese de ação direta venceu os manipuladores fascistas, esvaziados não conseguiram suportar o fim de determinadas mobilizações e manter-se na rua, enquanto que nós nos mantivemos e seguimos lutando e nos organizando por direitos básicos e pela revolução social libertária.
Contra o fascismo e a manipulação de mobilizações, pela liberdade e máximo bem-estar estar social para toda população- organização e luta!


SINDIVÁRIOS ARAXÁ



BONDE 1906-ANARCOSSINDICALISMO-

terça-feira, 10 de julho de 2018

A EDUCAÇÃO MINEIRA PEDE SOCORRO.

    

A educação brasileira desde o início da conquista e exploração colonial sempre atendeu aos interesses econômicos de uma pequena parcela da população rica em detrimento de grande parte da população brasileira pobre. Projetos mirabolantes foram feitos sem atender a nenhuma expectativa de educação inclusiva, de qualidade e igual.
Em Minas Gerais não é diferente desse quadro. Desde os governos tucanos de Aécio Neves e Anastácia os profissionais de educação vêm sofrendo com o descaso, desmonte de direitos conquistados, a desvalorização profissional e a repressão aos movimentos grevistas e de reivindicação. Com a ideia do Estado mínimo e de que o estado mineiro estava mal em suas finanças à dupla tucana atacou direitos adquiridos e de maneira inconstitucional “efetivou” diversos servidores públicos em poucas canetadas com base em um parlamento subserviente. Consequência disso foram milhares de trabalhadores jogados à própria sorte sem estabilidade profissional, muitos doentes e endividados.
O atual governador mineiro Fernando Pimentel do PT foi eleito com um discurso de que mudaria esse quadro. Prometeu que elevaria o salário dos professores através de várias ações governamentais em chegar ao piso nacional da educação. Porém, o que observamos foi uma má administração em um governo preocupado em atender as exigências exclusivistas, como por exemplo, em pagar integralmente os funcionário da segurança pública, e, como todos nós sabemos, em não sofrer um processo de impeachment devido aos diversos casos de corrupção que os governos petistas são acusados e muitos comprovadamente culpados.
Dessa forma, os funcionários públicos de Minas Gerais desde o início do ano de 2016 vêm recebendo seus salários de maneira escalonada, antes recebíamos no quinto dia útil do mês, e o salário parcelado. Contudo, com o discurso vitimista e mentiroso de que o estado mineiro está que
quebrado, desde junho de 2018 o governador petista não esta nem mesmo cumprindo a escala de pagamento para grande parte dos funcionários públicos mineiros, exceto aos funcionários da segurança pública que continuam receber integralmente. Grande parte dos funcionários da educação desde o início do ano de 2018 entraram em greve com uma lista extensa de reivindicação que vai desde o cumprimento de sua promessa de pagar o piso salarial a todos os funcionários da educação até o porquê do não repasse ao ipsemg (Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais). Vários médicos, clínicas e Santa Casa já não mais atendem ao ipsemg porque o governo Pimentel não repassa a verba para estes profissionais. Muitas doentes em tratamento tiveram consultas desmarcas tendo que arcar com o custo de consultas médicas.
De todo esse ultraje que há anos estamos sofrendo, o que podemos observar é um movimento de profissionais da educação desunidos que lutam por causas particulares e um sindicato atrelado à política partidária do governo. Muitos profissionais da educação, já exaustos pela rotina de trabalho em suas escolas, começam a perder as esperanças e desanimar frente à violência desse estado brasileiro burguês, corrupto e extremamente desigual. A educação brasileira pede socorro. E nesse momento vemos uma classe e uma sociedade de braços cruzados frente uma situação calamitosa e alarmante. 

(Horácio – professor de História e Geografia da rede pública mineira)

sexta-feira, 29 de junho de 2018

Professores de Minas Gerais

 O governo de Minas está contra a educação, trabalhadores da educação sem receber salários e um enorme déficit no número de escolas. Apoiamos a greve de professores e denunciamos o sindicalismo oficial/partidário, a luta dos trabalhadores não pode estar vinculada aos partidos, o sindicalismo partidário vende nossos direitos. Total apoio aos professores de Minas Gerais, Viva a greve!


Solidariedade aos trabalhadores na educaçâo em Minas Gerais.


SINDIVÁRIOS ARAXÁ COB-AIT

sábado, 9 de junho de 2018

VOTO NULO 2018

Não sustente parasitas
VOTE NULO!
Organize-se e lute por bem-estar e liberdade.
Viva a anarcossindical e a ação direta.

Sem pátria, sem partido, sem patrão!